Príncipe de Liechtenstein é acusado de matar um dos maiores ursos da Europa

Emanuel von und zu Liechtenstein tinha autorização para atirar em ursa que estava atacando fazendas; mas teria atingido Arthur, que vivia em área protegida

Autoridades da Romênia estão investigando a morte de  um dos maiores ursos-pardos da Europa, supostamente baleado por um príncipe de Liechtenstein.

O príncipe Emanuel von und zu Liechtenstein – sobrinho de 32 anos do príncipe do minúsculo principado Hans-Adam II – é acusado de atirar em Arthur, de 17 anos, em março, durante uma expedição de caça.

Os promotores abriram uma investigação na quinta-feira por dois motivos: o assassinato do urso não foi autorizado e alguns dos envolvidos podem não ter permissão para porte de arma, de acordo com a emissora Antena 3, afiliada da CNN.

A organização ambiental Agent Green acredita que o príncipe recebeu do Ministério do Meio Ambiente uma licença de caça de quatro dias para atirar em uma jovem ursa que estava atacando fazendas no condado de Covasna, na Transilvânia.

Em vez disso, o príncipe teria atirado em Arthur, que morava em uma área protegida.

Gabriel Paun, presidente da Agent Green, disse em um comunicado no site do grupo que não entendia como o príncipe podia confundir um jovem urso que vinha roubando galinhas de uma aldeia com o maior urso macho que existia na floresta.

A Romênia tem a maior população de ursos da Europa depois da Rússia, o que é considerado um orgulho nacional. O país proibiu a caça dos animais em 2016. No entanto, exceções são feitas em casos extremos, como quando um urso danificou propriedades ou ameaçou vidas humanas.

Este caso recebeu grande atenção da mídia no país. O primeiro-ministro romeno, Florin Citu, disse que os relatos da mídia estão incorretos e que Arthur pode não ser o maior urso-pardo da Europa – uma resposta que foi amplamente criticada.

O príncipe disse que “não quer se envolver neste assunto delicado”, de acordo com a Antena 3.

Os romenos têm bombardeado o site do castelo Riegersburg da família com reclamações. O site de avaliações de viagens TripAdvisor diz que suspendeu temporariamente as avaliações do castelo.

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Fonte: CNN Brasil